14 outubro, 2008

202


2 comentários:

maioazul disse...

Na penumbra dos becos e avenidas, Lisboa sempre inventa um clarão novo.

AugustoMaio disse...

Sempre